As 5.205 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Bendito fado, bendita gente

Mafalda Arnauth / Luís Oliveira
Repertório de Mafalda Arnauth

Bendita esta forma de vida
Por mais estranha que seja não há outra maior
Bendita travessa da palha
A de uns olhos garotos onde o fado é só loucura

Bendita essa rosa enjeitada
Rosa branca delicada ou rosinha dos limões
Bendito miúdo da Bica
Bendigo a história que fica no pulsar dos corações

Bendito fado corridinho ou compassado
Choradinho ou bem gingado em desgarrada singular
Bendito fado
Bendita gente no seu estilo tão diferente
Numa fé que não desmente a sua sina de cantar
Bendito fado, bendita gente

Bendita a saudade que trago
Que de tanto andar comigo atravessa a minha voz
Bendito o amor que anda em fama
Numa teia de enganos ou feliz, qual água que corre

Bendita rua dos meus ciúmes
Do silêncio ao desencanto não há rua mais bizarra
Benditas vozes que cantam
Até que a alma lhes doa pois foi Deus que os fez assim

Bendita velha tendinha
De uma velha Lisboa sempre nova e com gajé
Bendita raça calé
Carmencita linda graça, tão bonita a tua fé

Bendito presente e passado
De mãos dadas num verso em branco à espera de um futuro
Bendigo essas almas que andam
Uma vida à procura de um luar que vem do céu