As 5.156 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


As carvoeiras

Rodrigo Mello / Frederico Valério
Repertório de Maria José Valério

Sem a cor das andaias (?) domingueiras
Sem o sol que tem as chitas
Ó Lisboa, sem favor
Como as tuas carvoeiras são bonitas

Olhai-as passando, gentis tutinegras
Por dentro tão brancas, por fora tão negras
As asas são ancas, num ritmo brando
Porque elas não pisam, deslizam voando

Ai venham ver
Venham ver as carvoeiras
Venham ver os olhos delas
Que maneiras têm de olhar
Ai venham ver
Dois carvões numa braseira
Que puseram à janela
Para o vento os atear

A correr muito cingida à ilharga
Muito à larga o coração
Tão bonitas são de ver
As varinas na descarga do carvão

Gigas baloiçando têm semelhanças
Com barcos vogando nas ondas das tranças
Travessas, gaiatas, correndo, voando

Os seios são ondas redondas arpando