As 5.205 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Outra Lisboa

Luís Nobre Guedes / Guy Valle-Flor
Repertório de João Braga

Tenho saudades da minha velha Lisboa
E de tanta gente boa que então eu conheci
Noites de fado com a Amália e o Marceneiro
No mesquita e no Machado, momentos bons que vivi

Meio wisky com amigos no Belcanto
E se a massa der p’ra tanto, almocinho no Tavares
Vem-me a saudade daquela outra Lisboa
E de tanta gente boa que então eu conheci

P’ra dar bom ar, um cházinho bem tomado
Na Marques ou na Bernard, bem no centro do Chiado
A cervejinha no Gambrinus, só no bar
Os piratas no Simões, p’ra ver as moças passar

Ao fim do dia lá ia todo lampeiro
Ajeitar o penteado ao mestre João Barbeiro
Vem-me a saudade daquela outra Lisboa
E de tanta gente boa que então eu conheci

Era ao jantar que começava o programa
Nas tascas do Bairro Alto ou no Pereira de Alfama
Foi na Tipóia que fomos primeiro ao fado
Com a Teresinha e o João, mais tarde no Embuçado

Fim de noitada que não era nada mau
Com ceia de madrugada no velho Porão da Nau
Vem-me a saudade daquela outra Lisboa
E de tanta gente boa que então eu conheci

Foi com saudade
Que cantei esta canção
Não faz mal ter mais idade
Enquanto houver coração