As 5.170 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Ah fadista

Letra e musica de Carlos Paião
Repertório de Vasco Rafael

Vem o homem de lenço ao pescoço 
Ai a mão enfiada no bolso... ah fadista
Entra logo a cantar muito alto
As pessoas até dão um salto... ah fadista
Depois põe-se nos bicos dos pés
Disfarçando a sua pequenez... ah fadista
Fecha os olhos com ar concentrado
Ai a ver se ainda dorme um bocado... ah fadista

E, quando chega o refrão
Ele aperta o coração
E canta, co'a voz sofrida p'la emoção

Ai fado, tu tens o recado de tudo o que vejo
Do mundo alinhado num grande cortejo
Direito ao pecado no fogo dum beijo
Ai fado. não foste ensinado com pauta ou solfejo
Tu és engraçado, tu és um gracejo
Por seres tão prendado é que eu te desejo

Choradinho a mostrar como é 
Picadinho p'ra bater o pé... ah fadista
Volta e meia dá-lhe um arrepio 
Ai coitado do homem, tem frio... ah fadista
E os senhores das guitarras, sisudos
Lá resolvem os casos bicudos... fadistas
E o público está arrebatado
Há pessoas que caem pro lado.. ah fadista

E quando volta o refrão
Há quem rasteje p'lo chão
E ele canta, com raça e com comichão

E, quando chega o final
Os olhos já vêem mal
E grita duma maneira descomunal